A fotografia multiespectral

Ultravioleta/Infravermelho

As fotografias multiespectrais são imagens de um mesmo objeto, tiradas com diferentes comprimentos de ondas eletromagnéticas. Como por exemplo: luz visível, infravermelha, ultravioleta, raio-X ou qualquer outra faixa do espectro. A grosso modo, muito do que não é observável sob a luz visível, pode tornar-se aparante a partir de uma fotografia com luz ultravioleta ou com a reflectografia de infravermelho (dentre outros). A reflectografia de infravermelho é normalmente utilizada na busca por desenhos e/ou pinturas que se encontram abaixo da camada de tinta visível de uma obra. Mas também pode servir de auxiliar não invasivo na identificação de pigmentos. A luz ultravioleta, por sua vez, é bastante eficiente na análise de vernizes e retoques/repinturas. E ainda, assim como a reflectografia de infravermelho, pode ajudar na identificação de pigmentos como o "red lake", também chamado de vermelho "madder" (além de outros) que, sob a luz ultravioleta, tem um brilho alaranjado - sobre as fotografias multiespectrais como auxiliares na identificação de pigmentos, há inúmeros textos de instituições renomadas para livre consulta.

luz visível

ultravioleta

Há inúmeros outros exames que auxiliam na conservação-restauração, entretanto as fotografias com luz ultravioleta e a reflectografia de infravermelho podem ser grandes auxiliares para uma intervenção de restauro mais adequada e consciente - desde que o profissional possua o equipamento correto e saiba interpretar certeiramente as fotografias. Ademais, outra aplicabilidade da radiação ultravioleta é a identificação de modo mais preciso de intervenções mal executadas. Ou seja, o "restaurador" pode até elaborar um "relatório de restauro" repleto de técnicas e materiais irrepreensíveis, porém, se a ação tiver sido diversa, ela aparecerá. Não adianta relatar que executou tratteggio ou pontilhismo, se na realidade, fez borrão; que limitou-se à lacuna, mas na verdade, espalhou tinta por cima de camada original; que utilizou verniz de restauro, quando abusou de goma laca e etc. Para finalizar: um mau restauro pode até passar despercebido aos olhos de um cliente desavisado, mas será sempre evidente aos olhos de um bom restaurador e, irrefutável, perante uma simples análise com luz ultravioleta. Um bom vídeo a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »